quinta-feira, outubro 07, 2021

GUAMARÉ: CANDIDATO A PREFEITO FOI GRAMPEADO NA OPERAÇÃO MÁSCARA NEGRA

Imagens: Reprodução

A eleição suplementar na rica cidade de Guamaré ressuscita intestinos de operações de combate à corrupção que ocorreram no município.

Circula em grupos de WattsApp de Guamaré, ‘prints’ de trechos de conversas gravadas durante a Operação Máscara Negra, deflagrada pelo Ministério Público em 2012, que investigou fraude em licitação e superfaturamento na contratação de bandas para o Carnaval de Guamaré e prendeu várias pessoas.

Na época, era o prefeito Hélio de Mundinho, tio de Arthur Teixeira, atual candidato a prefeito na eleição suplementar.

Em uma das conversas, é possível verificar Arthur conversando com Tércia, a então secretária de Administração de Guamaré, Tércia Raquel Olegário Carvalho. Arthur na época, em 2012, tinha pouco mais de 20 anos de idade e não exercia nenhum cargo na administração municipal, mas já se envolvia com as situações que interessava a ele ou a algum amigo.

Na conversa gravada às 14:49h do dia 16 de março de 2012, Arthur conversa com Tércia e pergunta sobre a necessidade de mais algum documento “que você pediu da proposta”, que seria, na visão do MP, documento para inserir em algum processo de dispensa ou de licitação, que seria fraudada. Mércia diz que vai “resolver de outro jeito”. Arthur insiste para saber de que jeito Mércia vai resolver o problema e Mércia afirma: “Eu já disse a sua mãe”. A mãe de Arthur é Kelly Margareth Miranda da Fonseca, ex-secretária de Turismo e esposa do ex-prefeito Auricélio Teixeira

Em outro momento, Mércia explica que, se a documentação pedida ao amigo de Arthur tivesse sido encaminhada antes, “tinha dado certo”, como demorou, “a gente licitou”, mas adianta que vai arranjar uma maneira de resolver a situação solicitada por Arthur.

A participação do jovem Arthur Teixeira nas licitações de Guamaré, fica clara na conversa dele com Cesar, gravada às 19:46h do dia 02 de abril de 2012.

César pergunta a Artur se havia dado certo o “negócio da licitação”, fica chateado e até chama palavrão, no que Arthur fica nervoso para responder e cita a mãe sem explicar direito o que de fato ocorreu.

César pergunta se Arthur falou com Tércia, a secretária de Administração. Arthur responde que vai falar, mas desconfia que pode está sendo grampeado e diz: “é porque por telefone num pode pô, não tem como, entendeu?”.

César insiste para Arthur falar também com Kelly, a mãe dele, e ele afirma que vai pessoalmente a Guamaré resolver o problema.

César questiona de forma direta: “Será que tinha como você se informar sobre o negócio da licitação com alguém de lá?”.

Arthur afirma que vai conversar com a mãe: “Vou perguntar a mainha pra ver aí”.

Esses são apenas alguns trechos dos grampos telefônicos extraídos da Operação Máscara Negra, em que aparece o candidato a prefeito Arthur Teixeira em situação comprometedora por envolvimento indireto nas licitações da prefeitura de Guamaré.

Nessa operação, muita gente foi presa, inclusive familiares de Arthur.

Mas aí já é outra história…

Fonte: Tulio Lemos

📌Lembre-se: higienize as mãos sempre que necessário com água e sabão ou álcool em gel.

Nenhum comentário:

Postar um comentário