segunda-feira, abril 04, 2022

“É preciso recompreender uma economia soberana”, destaca senador Jean Paul em debate do jornal O Globo

Imagem: reprodução

A guerra entre Rússia e Ucrânia implicou no surgimento de uma nova ordem econômica de proporções globais, com fortes impactos no mercado de petróleo. Em função disso, o senador Jean Paul Prates (PT-RN) destacou a importância de se revisitar o conceito de soberania na primeira edição do debate “E agora Brasil?”, realizado pelo O Globo em parceria com o Valor Econômico e foi manchete do jornal impresso nesta segunda-feira, 04.

“É preciso recompreender, do ponto de vista histórico e estratégico, o que é ser uma economia soberana e o que é ter autonomia em determinados insumos e recursos”, frisou o senador. Segundo ele, é necessário o entendimento de se exercer uma soberania no sentido moderno: “que envolve países, governos e diplomacia, mas também grupos de interesse, conglomerados privados,  cérebros”, frisa Jean Paul.

Alta da gasolina: A cotação do barril de petróleo mudou de patamar após a invasão da Ucrânia pela Rússia, o que gerou repercussão no Brasil com a questão da atual política de preços da Petrobras. Jean é relator de dois projetos de leis sobre o preço dos combustíveis e durante o debate com especialistas criticou o fato de a Petrobras seguir os preços internacionais, mesmo tendo grande parte dos seus custos em real.

“O Brasil é autossuficiente em petróleo e com alta capacidade de processamento e produção de derivados, na ordem de 70% a 80% de cada um, desde o asfalto ao QAV (querosene de aviação), passando por gasolina diesel e GLP (gás de cozinha). Estamos todos pagando o preço como se importássemos cada molécula de petróleo e gás e isso está errado”, pontua o senador.

Jean também fez duras críticas ao programa de venda de ativos promovido pela Petrobras neste governo e ao argumento de que a estatal precisa seguir os preços internacionais para atrair investidores que comprem as suas refinarias. Até agora, a Petrobras vendeu três refinarias, sendo a da Bahia a mais importante, com 12% da capacidade de refino nacional. A refinaria baiana foi vendida para o fundo internacional Mubadala, dos Emirados Árabes Unidos. 

“Refinaria não é barraca de feira”, disparou o senador Jean. Para ele, as estruturas devem ser instaladas e operadas dentro do que chama de área de influência, sendo necessária uma intervenção estatal nesse processo para garantir o abastecimento aos consumidores e o livre mercado.

📌Lembre-se: higienize as mãos sempre que necessário com água e sabão ou álcool em gel.

Nenhum comentário:

Postar um comentário