segunda-feira, janeiro 25, 2021

Após denúncias, professor acusado de assédio pede afastamento da UFRN por tempo indeterminado através de licença médica

Imagens: Reprodução

O professor de Jornalismo Daniel Dantas Lemos pediu afastamento da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) após polêmica envolvendo denúncias de assédio contra ele. De acordo com a coordenação do curso, o docente se afastou por tempo indeterminado através de licença médica.

Segundo a coordenação de Jornalismo, a licença é por tempo indeterminado, mas não deve durar muitos dias. O docente deverá repor a carga horária, ainda segundo o curso. Atualmente, Daniel é professor de três turmas: Ética Jornalística, Jornalismo Investigativo e Laboratório de Linguagem Jornalística.

Alunas e ex-alunas denunciaram assédios e relataram situações constrangedoras vivenciadas com Daniel Dantas Lemos. No dia 4 de janeiro, ele recebeu uma advertência administrativa como resultado de uma sindicância instaurada pelo Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes da UFRN (CCHLA), que apurou o episódio em que o docente baixou as calças em frente a um grupo de alunas no Laboratório de Comunicação (Labcom) em junho de 2019.

Na sexta-feira 22, o Departamento de Comunicação social (Decom) se posicionou sobre o assunto. Em nota, divulgada nas redes sociais, afirmou que repudia as atitudes do professor e disse que ele continua como vice-coordenador do curso de Jornalismo. O Departamento disse que não tem autonomia para desfazer a chapa da coordenação e retirar o professor do cargo.

O Decom disse ainda que vem oferecendo proteção às alunas desde que tomou conhecimento da situação, acolhendo as vítimas com total zelo e discrição, recebendo a denúncia com respeito e encaminhando-a às demais instâncias administrativas da instituição, para que o processo fosse formalizado.

PT vai analisar denúncias

O Partido dos Trabalhadores (PT) se manifestou também na sexta 22 sobre o caso do professor, que é filiado ao partido. Por meio de nota, a Secretaria Estadual de Mulheres do PT disse que solicitou que as denúncias relacionadas ao docente sejam encaminhadas à Comissão de Ética da legenda.

Na nota, a Secretaria de Mulheres diz que “repudia veementemente os assédios praticados por Daniel Lemos. É inadmissível que um filiado ao partido tenha tal conduta, que fere e reprime as mulheres. Solicitamos que todas as denúncias de assédio relacionadas ao filiado sejam encaminhadas à Comissão de Ética do partido e que sejam avaliadas com o rigor necessários que exige a situação”.

A Secretaria de Mulheres do PT completou dizendo ainda que “o professor é responsável pelas práticas totalmente condenáveis de assédio, não sendo funcionário, dirigente ou parlamentar do PT”.

Desde que a reportagem com Daniel foi publicada pelo Agora RN, algumas mulheres do partido receberam mensagens nas redes sociais cobrando um posicionamento. A deputada federal Natália Bonavides (PT) compartilhou a nota da Secretaria de Mulheres do PT no próprio perfil do Instagram e comentou prestando solidariedade às estudantes.

📌Lembre-se: higienize as mãos sempre que necessário com água e sabão ou álcool em gel.

Um comentário:

  1. Que bom que sejam tomadas providencias, que seja penalizado e que não fique impune!

    ResponderExcluir