quinta-feira, abril 29, 2021

Denúncia: Escola estadual exige trabalho presencial mesmo com avanço da COVID-19 em Macau

Imagens: Reprodução

A gestão da Escola Estadual Duque de Caxias (foto), na cidade de Macau, zona salineira do Vale do Açu, segue convocando os servidores para exercer o expediente presencialmente, apesar de toda a calamidade sanitária que o município passa com o aumento no número de casos e de mortes, e desrespeitando o que está previsto no Decreto nº 30.419, de 17 de março passado, que determina que servidor vai trabalhar de casa, protegendo-se contra a COVID-19.

O Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público da Administração Direta do RN (SINSP/RN) recebeu uma denúncia de que a direção da escola exige que os funcionários administrativos deem expediente durante quatro horas em três dias da semana.

Exigir a presença dos servidores nas escolas, onde não há trabalho para se fazer durante a pandemia é assédio moral por parte dos diretores e da secretaria de Educação! Não há serviço essencial em escolas e o trabalho pode e deve ser feito de maneira remota, como o próprio governo determina”, ressalta postagem feita na página eletrônica da organização sindical.

Ainda segundo a denúncia, na Escola Duque de Caxias não há termômetro para medir a temperatura corporal dos que entram no local e não há nem a obrigatoriedade de limpar as mãos com álcool ao entrar na escola. Por fim a direção do SINSP/RN transmite que denunciou prática no Ministério Público do Trabalho do RN (MPT/RN) e vai responsabilizar gestores judicialmente.

📌Lembre-se: higienize as mãos sempre que necessário com água e sabão ou álcool em gel.



3 comentários:

  1. Boa tarde, caro Alex Silva, aqui quem fala é o professor Sebastião Alves. Tenho uma opinião a respeito desta temática que diverge da publicação. Por conta desse trecho do pôster que diz..."O Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público da Administração Direta do RN (SINSP/RN) recebeu uma denúncia de que a direção da escola exige que os funcionários administrativos deem expediente durante quatro horas em três dias da semana." Neste caso, você sabe que a direção da escola não tem poder para tal ação. Admiro você não tentar ouvir a outra parte. Segundo conheço, essas ações são tomadas a partir dos órgãos gestores superiores (DIRED, SEED e etc.) Segundo a direção da escola não há esse movimento partindo da direção da escola. Como professor da rede estadual, solicito que você retifique essa informação e coloque a opinião da direção da escola depois de ouvi-la. Obrigado.

    ResponderExcluir
  2. Boa noite. Não vi o comentário que enviei com a explicativa deste pôster. Alguma informação?

    ResponderExcluir
  3. Boa noite. Já que você não postou o meu comentário, nem retratou-se publicamente sobre essa inverdade publicada. Sei que você vai ler essa minha mensagem. Comunico-lhe que já tem dois processos tramitando na justiça contra o senhor. Passe bem.

    ResponderExcluir