domingo, maio 10, 2020

Em Macau, a inversão continua. Vítima vira réu para quem comete crime

Imagens: Reprodução
Na Macau das inversões de valores, a última agora é transformar uma vítima de violência em réu. O blogueiro Paulinho Porto sofreu um atentado contra a própria vida. Bandidos encapuzados tentaram mata-lo, mas Paulinho sobreviveu e conseguiu escapar, mas teve sua moto incendiada. 

Pois bem. Qualquer vítima de violência deve receber apoio. Na boca de alguns, em Macau é diferente. Paulinho, que foi vítima de uma emboscada covarde, é tido como o responsável pela própria agressão. 

O policial militar afastado Leandro de Souza, ao invés de prestar solidariedade a Paulinho, fez um texto dizendo que Paulinho foi culpado por expressar situações em seu blog. 
Ridículo. O próprio Leandro é o maior agressor de Macau contra quem não comunga com o posicionamento político dele. Já contabiliza mais de 10 processos e está afastado da PM por fraude. Não tem nenhuma condição de falar sobre postura de ninguém, já que está proibido pela Justiça de usar a própria farda. É um criminoso. Aliás, Leandro é costumeiro em cometer crimes de injúria, calúnia e difamação, por mentir e agredir as pessoas. Nunca era p falar de Paulinho. Ele é suspeito do atentado contra Paulinho. 

Portanto, Paulinho Porto é vítima de violência e intolerância. Aí vem um PM afastado por fraude para tentar justificar um ato de violência contra Paulinho. Absurdo. 
Leandro será relacionado como suspeito do crime, já que comemora o ato criminoso e também já agrediu Paulinho Porto dentro da Câmara de Macau. 

Atos de violência, sejam de lado ou de outro, deve ser combatido. Quem propaga violência também é responsável pelos crimes.


📌Lembre-se: higienize as mãos sempre que necessário com água e sabão ou álcool em gel.


Nenhum comentário:

Postar um comentário