sexta-feira, junho 25, 2021

Tarifa deve subir mais de 20%: Com crise hídrica, Aneel mantém em julho bandeira vermelha 2, a mais cara

 A agência ajustou a bandeira tarifária para a mais alta em junho. Em maio, os consumidores ainda contavam com a bandeira vermelha 1

Imagens: reprodução

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou nesta sexta-feira (25) que vai manter a bandeira vermelha 2 no mês de julho, em meio a uma seca histórica na região das hidrelétricas. A bandeira vermelha 2 é a mais cara das tarifas extras, e representa atualmente uma cobrança adicional de R$ 6,24 para cada 100 kWh consumidos. No entanto, esse valor irá mudar, segundo a agência, que vai divulgar atualização na próxima terça-feira, dia 29, excepcionalmente.

A mudança vem num momento em que os principais reservatórios de água no país estão num nível crítico, devido à falta de chuvas. Esse cenário faz com que o governo tenha que recorrer a usinas térmicas, que têm um custo maior de geração. O custo extra é repassado aos consumidores finais por meio da mudança da bandeira tarifária. 

A agência ajustou a bandeira tarifária para a mais alta em junho. Em maio, os consumidores ainda contavam com a bandeira vermelha 1.

"Em junho, as afluências nas principais bacias hidrográficas do Sistema Interligado Nacional (SIN) estiveram entre as mais críticas do histórico. Julho inicia-se com mesma perspectiva hidrológica desfavorável, com os principais reservatórios do SIN em níveis consideravelmente baixos para essa época do ano, o que sinaliza horizonte com reduzida capacidade de produção hidrelétrica e elevada necessidade de acionamento de recursos termelétricos", diz a agência em nota.

Tarifa deve subir mais de 20%: Embora o novo reajuste ainda não tenha sido divulgado pela Aneel, o diretor-geral da agência, André Pepitone, Aneel, adiantou na semana passada que o valor deve ser maior do que o previsto na consulta pública apresentada em março.

Na ocasião, a proposta era elevar a cobrança de 100 kWh na bandeira vermelha 2 para R$ 7,571. Ou seja, se fosse mantido esse valor, o aumento seria de 20%. A informação foi antecipada pelo jornal O Globo e repercutida pela comentarista de economia da CNN Thaís Herédia. 

"Certamente, a gente já pode adiantar aqui nessa comissão que não tem o valor final, mas digo às vossas excelências que será um valor bem maior do que os R$ 6,24. Tivemos uma audiência pública que durou 30 dias e apresentou o valor de R$ 7 e alguns centavos, mas com certeza esse valor [final] ainda deve superar um pouco os R$ 7 [e alguns centavos], [daí os] mais de 20% [de alta]", afirmou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário