Drogaria Santa Clara

Drogaria Santa Clara

quarta-feira, janeiro 11, 2017

Por Erick, O Caçador: O BRASIL SOB DOMÍNIO DAS FACÇÕES CRIMINOSAS

É madrugada nas ruas de uma cidade brasileira qualquer. Um casal de jovens de boa aparência leva um "baculejo" da Polícia Militar. A jovem, indignada por estar sendo submetida a revista pessoal pela guarnição pesadamente armada, dispara: "Vocês deveriam estar indo atrás de bandidos e, não, incomodando gente de bem, saindo de festas!" Ninguém responde e a revista continua, profissionalmente. No bolso do seu namorado, é encontrada uma quantidade de maconha. O casal é conduzido à Delegacia de Plantão mais próxima, para o devido procedimento legal. No caminho, o jovem, estudante de direito, desabafa: "É tanta frescura, só por causa de uma planta!" Ao que recebe a explicação de que a Polícia está simplesmente cumprindo as leis e fazendo seu papel. Já na Delegacia, a namorada, após ligar para Deus e o mundo, insiste para que o Delegado "releve o caso" e não faça a autuação legal cabível. Seu argumento: "tanta gente perigosa por aí matando e roubando... O Senhor acha justo sujar uma pessoa de bem, só por causa de uma planta medicinal? Deviam legalizar a maconha!" Ela está sob efeito de álcool e cannabis. A Polícia Civil cumpre o seu dever e faz o procedimento correto. O estudante de direito diz: "Não mereço passar por isso... Nem matei, nem roubei..."


    Essa é uma situação que acontece corriqueiramente no nosso país: usuários de drogas que, em última análise, financiam todo o poderio das Facções Criminosas, alegam de tudo para distorcer a realidade nua e crua de que seu vício patrocina assassinatos, destruição de famílias e corrupção. Exigem impunidade pois, a se crer no que dizem, "tem gente fazendo pior"... Sem revelar, no entanto, que bancam estes "que fazem pior". Mais que isso: são ingênuos o suficiente para defender que o Estado erra ao não legalizar a maconha, esquecendo que são escravos do vício... E que os traficantes de quem compram drogas ilícitas estão organizados em empresas do crime bilionárias e influentes - metidas inclusive na corrupção dos três Poderes da República -  e também que essas empresas ( as Facções Criminosas) NÃO VÃO PERMITIR uma tal legalização. Agem como marionetes, sem perceber, criticando a Polícia e ajudando o submundo do crime.


    Há outro ponto em que costumam errar... O problema não está apenas em uma planta, mas no que se faz com duas plantas: a maconha e a coca ( da qual se fabrica a cocaína e o crack). Mais ainda, fingem ignorância de tudo de ruim que acontece até que essas plantas ( ou seus derivados) lhe cheguem às mãos, e se omitem consciencialmente do estrago pessoal e social que continua depois. Com efeito, esquecem que Facções Criminosas não vendem "plantas medicinais" a doentes e, sim, "fuga da realidade" e "vício" para atraso da vida das pessoas que, chapadas, muitas vezes perdem o rumo para sempre. A questão está longe de ser um tipo de "preconceito botânico", evidentemente! Um quilo de droga traficada ilegalmente não é apenas "um quilo de tal substância"... É um vórtice de sangue, miséria humana, degradação, de crime e da presença da malignidade - um exemplo de como o lado negro da humanidade pode desvirtuar a natureza pura ( as plantas, em si), para criar o inferno. O usuário é um servo disso, na realidade.


    Explique tudo isso a um viciado ( com certeza, muitos lerão este artigo), e terá a seguinte resposta: " OK, mas não é por causa disso que eu vou parar." Natural isso, pois ele não tem escolha, está dominado na mente e organicamente pelo vício - mesmo que não aceite tal fato - e vai defender o "direito" de se drogar até o final. A quantidade de pessoas desse tipo está aumentando exponencialmente no Brasil,  ( o 2° maior mercado consumidor de drogas do mundo). É uma catástrofe, pois justamente essa massa entorpecida faz o motor turbinado que impulsiona as Facções Criminosas, se submetendo ao tráfico como animais adestrados - É a armadilha dos aliciadores pelo vício.
 Em 1993, no Presídio de Taubaté/SP foi criado o Partido do Crime, depois renomeado como Primeiro Comando da Capital ( PCC). Em tese, seus objetivos seriam "defender os irmãos da opressão" e "vingar os mortos do Carandiru" ( se referindo à rebelião de 1992, em que 111 presidiários foram passados pelas armas, após terem jogado uma pia na cabeça do Comandante do BPChoque da PM, desmaiando-o). Na prática, os objetivos do PCC tem sido ganhar dinheiro e poder.


    O PCC seguiu uma linha de expansão agressiva e constante, dominando o Crime no Estado de São Paulo e expandindo-se por todo o Brasil. Atualmente, é uma multinacional do crime, com presença em vários outros países da América do Sul.


    Antes do PCC, já havia o Comando Vermelho e outras Facções que se  opunham ao CV no Rio de Janeiro, mas estas ficavam restritas, em seus negócios, ao território fluminense. O PCC, em sua expansão nacional, acabou mostrando o filão do controle "em moldes empresariais" de outros mercados, tanto aos vagabundos cariocas, quanto aos criminosos locais - que eram "batizados" na Facção, aumentando seu poderio. Acontece que nem toda a bandidagem dos outros Estados aceitou o predomínio de "caras de fora" no seu chão natal, o que ensejou a criação de diversas Facções locais, resistindo e competindo com o PCC.


    Lembrando que o ponto de força dessas Facções é o domínio dos presídios ( onde há natural reunião da escória, facilidade de recrutamento, doutrinação e criação de um "espírito de corpo", etc), obviamente a rivalidade começou dentro do próprio sistema penitenciário e foi às ruas, gerando uma teia de conflitos que causou centenas de milhares de assassinatos, nas últimas décadas. Essa é a razão do aumento gigantesco de todas as estatísticas criminais brasileiras nos últimos tempos, ajudada pela impunidade e incompetência na gestão pública do combate ao crime.


    Atualmente, a qualquer um que entre condenado numa cadeia brasileira, ficará a opção de permanecer abandonado e só por lá ( sem cuidados quaisquer do Estado e à mercê das situações de violência entre os próprios presos), ou se filiar a um dos Sindicatos do Crime, ganhando proteção e acolhimento, além de acesso à regalias - incluindo drogas, mulheres, bebidas, advogados, etc. Com um detalhe: o associado tem de obedecer a hierarquia da Facção pelo resto da vida. A tentativa de sair pode ser vista como traição... E quem trai, recebe a pena de morte.


    A população carcerária brasileira ( a quarta maior do mundo) é, em sua grande maioria, dominada pelo poder da Facções Criminosas de forma rígida e sem sutilezas. É a armadilha criada pela entrada na vida do crime, que nesse estágio fica sem volta.


    Após seu "batizado", o criminoso filiado vai ter que "trabalhar" para manter a Facção, principalmente quando estiver em liberdade. Só para se ter idéia, a mensalidade de um membro "solto" do PCC é de mil reais mensais. E sim, esse dinheiro é conseguido com tráfico de armas e drogas, roubos, sequestros, etc. Está explicado aí o aumento da ousadia dos criminosos e o incremento das estatísticas de violência no Brasil inteiro.


    De todos os negócios tortos, o tráfico de drogas é, de longe, a principal fonte de renda dessas organizações, daí que é fundamental manter uma rede de vendas de varejo a todo vapor. Maconha, Cocaína e Crack são os principais produtos oferecidos. A boca de fumo é o maior esteio das Facções Criminosas que, sem ter uma cadeia de pontos de venda rentáveis, simplesmente pode falir.


    É nesse ponto que entra o casal do início do artigo. E é por isso que as facções criminosas não estão interessadas em "legalize marijuana" ou em "liberação do plantio em casa"... E, claro, serão capazes de matar, subornar autoridades de todos os níveis e comprar leis, para conseguir o que querem. Aliás, as Facções podem eleger seus representantes políticos no Executivo e Legislativo. Já o fazem, por sinal.
  No Estado do Amazonas, inquéritos da Polícia Federal e do Ministério Público Federal versam sobre o envolvimento de membros do Judiciário com Facções Criminosas, sendo uma Desembargadora afastada. Três Deputados de uma mesma família ( Souza), sendo um deles ex-Deputado Federal e hoje Presidente da Junta comercial do Estado, foram apontados como lideranças do Tráfico. O Governador atual do Estado teria sido reeleito com apoio da Facção Família do Norte ( FDN), conforme revelam interceptações telefônicas da Polícia Federal divulgadas na imprensa.


    No Ceará, as Facções se uniram, com direito a passeata nas ruas e financiaram vários candidatos a vereador e prefeito em certo número de cidades, nas eleições de 2016. Tais fatos tiveram divulgação ampla.


    Ainda nas eleições municipais de 2016, cerca de dez candidatos a vereador foram assassinados na Baixada Fluminense (RJ). Essas mortes foram atribuídas a um expurgo feito por Facções Criminosas, visando eleger seus próprios candidatos.


    Esses são exemplos do que está em andamento no Brasil, em termos de Dominação total da República pelo Crime Organizado em Facções do Tráfico.


    Não podemos deixar de comentar o fato de que investigações como a Operação Lava-Jato deixaram claro que os partidos políticos tradicionais são, no Brasil, verdadeiras agremiações de colarinhos-brancos. O Crime há muito já havia se organizado em partidos políticos e se consorciado com grandes empresas para  fins de corrupção e perpetuação no Poder de forma criminosa. Tendo isso em mente, fica difícil não conceber uma aliança provável entre Partidos Políticos corruptos e Facções Criminosas prisionais.


    Afinal de contas, uma enxurrada de Leis favorecendo bandidos aconteceu, nos últimos tempos... Tem uma turma de "Direitos Humanos" no cenário Politico brasileiro que só enxerga humanidade em bandidos, ao que parece! O PSOL, por exemplo, faz trabalhos de doutrinação marxista em presídios ( o que, afinal, lembra muito a origem do Comando Vermelho). As ligações PT/MST/FARC são amplamente conhecidas; mas menos conhecidas são as conexões FARC/ FDN/CV. Mas que fique bem claro: essas ligações entre Partidos Políticos e Facções não se restringem aos partidos ditos "de esquerda". Nos casos citados do Amazonas, Ceará e Rio de Janeiro, há outras agremiações partidárias.


    O Jornalista Roberto Cabrini perguntou a Fernandinho Beira-Mar ( líder do Comando Vermelho): "Qual a modalidade de crime que dá mais lucro, no Brasil?" Ao  que Beira-Mar respondeu:"É a política". Isso diz o suficiente, não? 

É o Brasil sob domínio das facções Criminosas ? 

Erick Guerra, O Caçador 


Pra você que está pensando em comprar um imóvel : Vende-se uma casa

Vende-se uma casa no Loteamento Porto Seguro em Assu, 77 m2  de área construida, 2 quartos sendo 1 suíte, sala, cozinha, despensa, banheiro social, toda na blindex, piso extra, garagem para 1 carro, muro com Floreira.
LRV- empreendimentos  


Contatos

(84)98189-1090
       99919-8944


Nenhum comentário:

Postar um comentário