segunda-feira, julho 20, 2020

Servidor do TCE vê fake news como “ameaça à sociedade e a verdade”

Imagem: Reprodução
Com a criação das redes sociais nas últimas décadas, a informação tem sido algo compartilhado numa velocidade tão rápida que, em muitos casos, chega a ser repassada sem a devida checagem da veracidade da notícia. As notícias falsas, também conhecidas pelo termo “fake news” se tornaram um verdadeiro perigo.

Servidor público há mais de 30 anos com experiência principalmente no poder Judiciário, Breno Minora avalia que as “fake news são ameaça à sociedade e a verdade”.

Pré-candidato a vereador em Natal nas eleições deste ano, ele alerta para o perigo que as notícias falsas podem provocar não só no cenário político como em outros setores da sociedade. “Não se preocupam com quem seja ou o que esteja sendo repassado. Muitas vezes o dano à imagem da pessoa é praticamente irreversível”, comentou.

Minora citou, como exemplo atual, a situação do país diante da pandemia do novo coronavírus. “Veja que o Ministério da Saúde criou alertas para esclarecer as inverdades que foram e são espalhadas quase que diariamente em textos, memes e vídeos sobre o vírus, sobre formas de contágio ou mesmo de prevenção. Isso só confunde ainda mais o cidadão”, disse.

Para ele, as notícias falsas chegam com mais intensidade às pessoas pouco esclarecidas, mas as que tem conhecimento também são vítimas das fake news. “Isso é um crime. Há profissionais sérios na comunicação e isso coloca em xeque todo um trabalho de apuração e credibilidade”, afirmou.

Para evitar ou dificultar cair numa fake news, confira algumas dicas para identificar uma notícia falsa:

Não compartilhe conteúdos noticiosos ou mensagens de supostos médicos, policiais, servidores da polícia federal etc. que chegue pelo whatsapp, messenger ou esteja nas redes sociais, mas que não tenha origem conhecida;

Não acredite em nada que tenha um título espetaculoso do tipo: “Envie para o maior número de amigos, você poderá salvar uma vida”, “vamos compartilhar sem dó” ou “passe adiante antes que tirem do ar”;

Leia com atenção, normalmente encontramos erros ortográficos ou de pontuação; e se possível, faça uma pesquisa no Google utilizando o título do texto. Existem vários sites especializados em verificar a legitimidade de notícias que viralizam na internet.

📌Lembre-se: higienize as mãos sempre que necessário com água e sabão ou álcool em gel.

Nenhum comentário:

Postar um comentário