quinta-feira, outubro 15, 2020

Vandalismo: Uma semana depois de inaugurada, UTI do hospital de Macau é alvo de ataque

 

Imagem: Reprodução

Em uma ação criminosa na madrugada desta quinta-feira (15) foi registrado em Macau. O tanque de oxigênio das UTIS do hospital Antônio Ferraz foi alvo de um incêndio criminoso que pode prejudicar a população do município.

As UTIS foram inauguradas há uma semana e, desde então, ao invés de se tornarem um marco para a saúde pública de Macau, se transformaram num irracional alvo dentro da disputa política no município. 

Enquanto o prefeito Túlio Lemos (PSD), candidato a reeleição, utilizou a imagem das UTIS para mostrar que a sua gestão investiu na saúde pública e articulou parcerias para instalar os equipamentos, a oposição, encabeçada pelo ex-prefeito e médico José Antônio, entrou na justiça para impedir o prefeito de utilizar um vídeo em que o gestor visitava as unidades.

Na internet a briga continuou com os eleitores do prefeito festejando a instalação dos leitos enquanto dos eleitores de José Antônio tentam desqualificar a obra dizendo que as UTIs devem ser retiradas do município.

Ainda não é possível confirmar se o o ataque danificou o cilindro que atende a UTI. Técnicos da empresa responsável pela instaladas foram acionados e a Polícia Civil também para investigar o caso. Sem o cilindro a UTI fica inutilizada. Por sorte, ainda não havia nenhum paciente internado na unidade.

UTIS foram conquista da população


Em toda sua história a população de Macau sempre vivia em busca de outras cidades para atendimento avançado de suporte à vida. Mas a gestão municipal colocou como meta instalar a UTI no hospital municipal. “Não dava mais para ver o povo Macau morrendo nas estradas, dentro de ambulância, procurando socorro em outros municípios. 

Essas UTIS são a chance de lutar pela vida. Esse atentado é contra o povo de Macau”, desabafou o prefeito Túlio Lemos.

Para viabilizar a instalação dos leitos a prefeitura fez o investimento inicial de mais de 1 milhão de reais. O município fez as obras físicas, adquiriu equipamentos e medicamentos. O governo federal doou os respiradores. 

Já o governo do estado entrou com as bomba  de infusão, monitores e deve assinar um Convênio de 250 mil reais por mês para ajudar na manutenção da UTI por cinco meses. A partir daí, a PMM arca com a manutenção ou renova junto à gestão estadual ou federal o convênio de apoio a manutenção.

📌Lembre-se: higienize as mãos sempre que necessário com água e sabão ou álcool em gel.

Um comentário:

  1. E continua a campanha da desinformação...

    Hoje, 15 de outubro, alguns blogs noticiaram um incêndio supostamente criminoso ocorrido no Hospital Antônio Ferraz.

    Contudo, o que era pra ser uma matéria informativa, está recheada de insinuações perigosas.

    A matéria inicia com a notificação do fato e, de forma completamente desconexa, menciona as ações judiciais que foram propostas pelo jurídico do candidato José Antônio de Menezes contra a propaganda ILEGAL das UTIs veiculada pelo candidato Túlio Lemos.

    Ao ler a matéria é facilmente perceptível que o “blogueiro” tenta forçosamente ligar a imagem de Dr. Zé Antônio e de seus eleitores ao fato.

    Claro que não o faz diretamente, não seria tão tolo, até porque já está tão habituado a ações judiciais que o “modus operandi” tem se aperfeiçoado para possibilitar uma defesa futura sob o manto da liberdade de expressão.

    Caro eleitor macauense, muito cuidado ao acessar os blogs locais em busca de informação, pois vários deles, de modo contrário, vão mais é desinformá-lo.

    É necessário esclarecer, para aqueles que ainda não entenderam, que foi ajuizada ação para retirado do vídeo de propaganda eleitoral de Túlio Lemos sobre a UTI, porque tal atitude caracteriza abuso de poder político, uma vez que o Prefeito e atual candidato fez uso da coisa pública para produzir conteúdo publicitário de sua campanha, o que é VEDADO pela legislação eleitoral.

    Em nenhum momento foi criticado a instalação de leitos de UTI, de forma alguma. Acredito que a maioria da população concorda que há muito deveriam ter sido providenciados, principalmente durante o período de pico da pandemia em que muitos macauenses em estado grave precisaram se deslocar para o município de Guamaré para ter acesso a terapia intensiva.

    Na verdade, e aqui vos falo com a transparência de um processo judicial, que pode ser acessado por qualquer cidadão, o que se questionou foi a conveniente inauguração da UTI em pleno período eleitoral e, principalmente, sua utilização como material de propaganda do candidato.

    Por fim, com relação ao ocorrido no Hospital Antônio Ferraz, vou parafrasear um outro blogueiro, que também comentou o assunto “o que esperar de uma disputa com esse nível de concorrentes?”.

    ResponderExcluir