Drogaria Santa Clara

Drogaria Santa Clara

terça-feira, abril 25, 2017

Representantes da cadeia produtiva de queijo discutem soluções na ALRN

Foto: Ney Douglas
 
Produtores, consultores, técnicos e políticos da região do semiárido lotaram o Plenário Cortez Pereira em audiência pública para discutir a cadeia produtiva do queijo artesanal no Rio Grande do Norte. O debate foi proposto pelo deputado estadual Hermano Morais (PMDB), e contou ainda com a colaboração e sugestões de Fernando Mineiro (PT) e Gustavo Fernandes (PMDB).

"O queijo artesanal integra uma importante característica histórica e cultural do Estado, especialmente pela habitualidade do consumo e produção. A modernização e definição das condições de fiscalização são imperiosas para dar segurança jurídica aos investidores do setor, notabilizada pela dificuldade em apurar a produção clandestina e sem os devidos padrões de higiene", justifica Hermano.

Hermano é autor de projeto que regulamenta a atividade, que atualmente enfrenta dificuldades pelas condições de produção, o que leva a fiscalização agropecuária a, frequentemente, embargar as atividades. Preocupa produtores porque a cadeia do leite, matéria-prima do produto é uma das únicas que ainda resistem aos efeitos da estiagem no Rio Grande do Norte.

“O produtor está ameaçado pela fiscalização. O esforço da produção para fazer esse queijo chegar às maiores cidades se esvai todo com a série de exigências feitas. Precisamos modernizar esse processo com ações. A lei seria um princípio, um marco, mas é preciso mais”, reclamou o representante da Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte (FIERN), Dalton  Cunha Filho.

Só no Seridó, uma das principais regiões produtoras do Estado, há 318 queijeiras. Para o prefeito de uma das principais cidades da região, Robson de Araújo, o Batata, chefe do Executivo de Caicó, a discussão precisa avançar.

“Sabemos da boa intenção da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte em trazer esse assunto à tona, mas pedimos também mais celeridade porque os produtores precisam de segurança jurídica”, pediu o prefeito.

O deputado estadual Gustavo Fernandes (PMDB) destacou que essa segurança é justamente o que falta para parcerias. Ele citou o exemplo de investidores internacionais com quem esteve recentemente. Segundo seu relato, italianos têm a intenção de parcerias com produtores do Rio Grande do Norte, mas é preciso, destacou, a segurança jurídica que os produtores potiguares hoje não têm.

Está com azia, má digestão, gastrite ou prisão de ventre? Use Chá Amargo Original da Natural Ervas. Chá Amargo Original da Natural Ervas Chá Amargo é muito usado para os que sofrem de problemas digestivos. Muito útil também em casos gatilhos mentais de lançamento de debilidade digestiva por problemas nervosos. É um fortificante do estomago, muito eficaz. Combate os oxiúros. Empachamento, azia e má digestão. Fonte de vitamina B12, vitamina D3 e vitamina C. Benefícios Diurético Digestivo Depurativo Calmante Antioxidante Estimulante Entre outros benefícios
Está com azia, má digestão, gastrite ou prisão de ventre? Use Chá Amargo Original da Natural Ervas.

Chá Amargo Original da Natural Ervas Chá Amargo é muito usado para os que sofrem de problemas digestivos. Muito útil também em casos de debilidade digestiva por problemas nervosos. É um fortificante do estomago, muito eficaz. Combate os oxiúros. Empachamento, azia e má digestão. Fonte de vitamina B12, vitamina D3 e vitamina C. Benefícios Diurético Digestivo Depurativo Calmante Antioxidante Estimulante Entre outros benefícios 

Nenhum comentário:

Postar um comentário