Drogaria Santa Clara

Drogaria Santa Clara

quarta-feira, dezembro 06, 2017

TJ/RN não aceita argumentos do governo e determina repasse do duodécimo ao TCE

FOTO: Reprodução
Os desembargadores que integram o Tribunal Pleno do TJ/RN, depois de analisarem Mandado de Segurança impetrado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) determinaram que o governo do Estado regularize parte dos repasses dos valores correspondes ao Duodécimo à Corte de Contas, até o dia 20 de dezembro. O MS pedia o repasse integral dos valores atrasados, que compreendem, dentre os retroativos, os meses de maio a agosto, no total de 19 milhões, além dos meses de setembro a outubro.
O Pleno do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte atendeu em parte ao pedido formulado pelo TCE.
O julgamento no Tribunal considerou que a regularização deve se efetivar a partir da impetração do Mandado de Segurança, que foi movido pelo TCE em 7 de novembro e sem a retomada da prática do repasse a menor do duodécimo. Com isso, o Executivo deve repassar os valores de novembro e dezembro até o dia 20 do mês em curso.
A Corte Estadual de Justiça ressaltou que o repasse é obrigatório ao poder Legislativo e Judiciário, definido na Constituição Federal, no artigo 168, o qual reza que “os recursos correspondentes às dotações orçamentárias, compreendidos os créditos suplementares e especiais, destinados aos órgãos dos Poderes Legislativo e Judiciário, do Ministério Público e da Defensoria Pública, devem ser entregues até o dia 20 de cada mês.
Os argumentos apresentados pelo Executivo Estadual para o não cumprimento da determinação constitucional foram baseados nas alegações de que as receitas estaduais estão “sendo frustradas” e que os créditos do TCE foram suficientes para atingir os valores cobrados pela Corte de Contas. Contudo, o relator do MS, desembargador Glauber Rêgo, dentre outros pontos – e que votava pela regularização integral do repasse – trouxe ao voto recentes julgados do Supremo Tribunal Federal (STF), como o MS 34483, que não acatou argumentos similares de outros estados, já que se trata de uma obrigação constitucional.
Os membros do Pleno do TJRN também concordaram quanto ao fato de que a suposta frustração de receita, alegada pelo Estado, não pode servir de obstáculo para o cumprimento do que é definido pela Carta constitucional da República e que os poderes não podem ser privados de sua regularização orçamentária de modo unilateral. Em caso de descumprimento, o TJ também determinou o pagamento de multa diária e pessoal.


VENHA SE DELICIAR COM A MELHOR CARNE DE SOL DA REGIÃO E A MACAXEIRA FRITA MAS CROCANTE, AONDE NA CHURRASCARIA  OBARANDÃO, E AGORA  DISPONIBILIZAMOS DE SELF-SERVICE PARA MELHOR ATENDER NOSSOS CLIENTES, NA RUA VEREADOR JOSÉ BEZERRA DE SÁ PRÓXIMO AO CENTRO ADMINISTRATIVO.
A PERDA DE UM ENTE QUERIDO DEIXA TODA UMA FAMÍLIA FRAGILIZADA. NO MOMENTO DE DOR, PLANO DE ASSISTÊNCIA FAMILIAR VIDA NÃO SÓ SE SOLIDARIZA COM OS PARENTES COMO TAMBÉM  COLOCA  EM PRÁTICA TODOS OS PRECEITOS E OBRIGAÇÕES CONSTANTES NO PLANO DE ASSISTÊNCIA FAMILIAR. TUDO É FEITO COM SENSIBILIDADE E DISCRIÇÃO. MAS COM A EFICIÊNCIA DE PROFISSIONAIS CAPACITADOS E CONSTANTEMENTE APERFEIÇOADOS.

Nenhum comentário:

Postar um comentário